Nos 10 anos da PNRS, região Sul tem muito a comemorar

No dia 2 de agosto de 2010, por meio da Lei Nº 12.305, foi instituída no Brasil a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Este marco importante para o Meio Ambiente dispõe sobre os princípios, objetivos e instrumentos, bem como sobre as diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos, incluídos os perigosos, às responsabilidades dos geradores e do poder público e aos instrumentos econômicos aplicáveis.

“A PNRS é aliada do meio ambiente porque busca o desenvolvimento sustentável, a proteção da saúde pública e da qualidade ambiental. Estimula também a cooperação entre as diferentes esferas do poder público, o setor empresarial e demais segmentos da sociedade (associações, cooperativas, etc)”, explica a engenheira sanitarista e ambiental do Grupo RAC, Ionice Maria Vefago.

De acordo com a profissional, a Lei objetiva a não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos, bem como disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. Além disso, estimula a adoção de padrões sustentáveis de produção e consumo de bens e serviços e impõe a adoção, desenvolvimento e aprimoramento de tecnologias limpas como forma de minimizar impactos ambientais

“Nestes primeiros 10 anos, podemos perceber melhorias como a universalização da prestação dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos sólidos; a capacitação técnica continuada na área de resíduos sólidos; o incentivo à indústria da reciclagem, tendo em vista fomentar o uso de matérias-primas e insumos derivados de materiais recicláveis e reciclados; além do reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como um bem econômico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor de cidadania”, garante Ionice.

Importância do apoio da comunidade

Segundo Ionice, a região Sul nos quesitos coleta, transporte e destinação final ambientalmente adequada, está bem atendida. Porém, quanto ao reaproveitamento, reuso, redução, reciclagem de resíduos sólidos, ainda vai demandar tempo para que a sociedade se conscientize da importância da segregação dos resíduos sólidos recicláveis na fonte geradora, deste modo alavancando a primeira etapa do gerenciamento integrado de resíduos sólidos, passando para as demais etapas devidamente separado e limpo. “ O apoio mútuo tem importância fundamental para a articulação entre as diferentes esferas do poder público, e destas com o setor empresarial, com vistas à cooperação técnica e financeira, bem como o incentivo ao desenvolvimento de sistemas de gestão ambiental e empresarial voltados para a melhoria dos processos produtivos e ao reaproveitamento dos resíduos sólidos, incluídos a recuperação e o aproveitamento energético”, enaltece.

 

Pesquisa aponta 100% da destinação correta de resíduos em municípios do Sul

Em 2019, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) divulgou o Ranking ABES da Universalização do Saneamento, um importante instrumento de avaliação do setor no Brasil. De acordo com a pesquisa que apresenta o percentual da população das cidades brasileiras onde os resíduos sólidos recebem destinação adequada, os municípios de Criciúma, Içara e Sombrio tiveram 100% de coleta de resíduos sólidos realizada e 100% do conteúdo coletado tem a destinação correta. Nos três municípios que fazem parte do Sul do Estado, o Grupo RAC atua. Em Criciúma e Içara realiza os serviços de coleta, transporte e destinação dos resíduos sólidos, e, no município de Sombrio, trabalha com os serviços de destinação final.

“Criciúma vem buscando ampliar o processo de coleta seletiva e de resíduos, vem procurando dar maior espaço aos trabalhadores de recolhimento de materiais recicláveis. Hoje contamos com dois pavilhões onde duas associações estão instaladas e mais um Ecoponto disponibilizado para que as pessoas possam disponibilizar materiais inservíveis. Seguimos um trabalho de ampliar a coleta seletiva para aproveitar ao máximo os resíduos que são gerados e, assim, consequentemente, acarretar a diminuição do uso de matérias primas e, por consequência, incluirmos os trabalhadores de materiais recicláveis. O Grupo RAC hoje nos auxilia nesse processo, já que é a empresa contratada para fazer o serviço de recolhimento de resíduos no município, tanto o comum domiciliar, como o de recicláveis. O Grupo RAC também disponibiliza estagiários para que possamos ampliar esse trabalho de conscientização nas escolas e nos bairros. É uma parceria importante para este trabalho”, enaltece a presidente da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), Anequésselen Bitencourt Fortunato.

 O Grupo RAC tem a missão de disponibilizar soluções para o gerenciamento dos resíduos sólidos gerados pelos municípios, comércio e indústria, auxiliando na melhoria dos índices de saneamento locais e na preservação do meio ambiente, utilizando para tal, tecnologias adequadas de tratamento e disposição final de resíduos sólidos, desta forma melhorando efetivamente a qualidade de vida da população atual e futura.



Comentários: